Especiais

Helenas e outras mães de Manoel Carlos

Oi, pessoal! Tudo bem? O dia das mães está chegando! Pensando nessa data tão importante, o Território da Novela preparou uma seleção especial de mães das novelas para você relembrar. Como seria impossível falar de tantas e tantas mães emblemáticas que já passaram pela nossa telinha, resolvemos falar hoje de algumas das famosas Helenas e também de outras personagens criadas pelo autor Manoel Carlos. E aí alguém pode perguntar: por que Manoel Carlos? Eu explico: Maneco, como é conhecido, é um autor consagrado como grande mestre na arte de falar do cotidiano e da família em suas obras. Se você é um noveleiro atento e já teve oportunidade de assistir algumas das novelas do autor, deve ter percebido isso.

Nas famílias criadas por Manoel Carlos as mães, nossas homenageadas de hoje, são figuras de destaque. Algumas delas, inclusive, são as famosas protagonistas batizadas sempre com o nome de Helena. Mas então vamos ao que interessa! A seguir, famosas mães das obras de Maneco. Vem comigo!

O autor Manoel Carlos (Foto: Revista Quem).
Novidades

Drica Moraes volta às novelas em nova parceria com Walcyr Carrasco

Quem estava torcendo pela volta de Drica Moraes às novelas já pode comemorar! A atriz foi confirmada no papel de Carolina, uma mulher que vai viver um dramático triângulo amoroso com o namorado e a própria filha em Verdades Secretas, próxima novela das 23h da Globo. Deborah Secco, que já estava gravando na pele da personagem, precisou deixar a produção ao descobrir que está grávida do primeiro filho.

 

Drica Moraes viverá Carolina em Verdades Secretas (Direitos de Imagem e CopyRight: TV Globo).
Especiais

Top 10 de audiência: as novelas mais vistas de todos os tempos

Oi, pessoal, tudo bem? Como eu disse no post anterior, vamos começar agora uma retrospectiva das 10 novelas que tiveram os maiores índices de audiência de que temos notícia até hoje no Brasil. Vamos falar de duas por dia.  Antes de começar, quero compartilhar com vocês uma curiosidade. Quando resolvi colocar esse ranking aqui no blog, comecei a pesquisar e achei em vários sites matérias falando sobre a iniciativa do autor Aguinaldo Silva de buscar justamente os nomes dessas obras e os índices alcançados por elas. Outro fato interessante: das dez novelas de maior audiência, quatro tiveram o próprio Aguinaldo como autor ou coautor. E aí, ansiosos pelo nosso top 10? Então vamos lá!

Especiais

Top 10 de audiência: Vale Tudo e Fera Ferida

Oi, pessoal, tudo bem? Vamos agora continuar o nosso ranking das 10 novelas com maiores índices de audiência desde que o Ibope começou a fazer pesquisas diárias. Hoje vamos falar da oitava e da sétima posição.  Vamos lá!

Posição 8 – Vale Tudo

(Foto: Reprodução/TV Globo)

Exibida pela primeira vez na Rede Globo entre 16 de maio de 1988 e 06 de janeiro de 1989, Vale Tudo tem elementos que a mantém, até hoje, bastante atual. Escrita por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, a novela discutia principalmente corrupção e falta de ética, temas que obtiveram destaque na sociedade brasileira no final da década de 1980. Na exibição original, Vale Tudo conseguiu 56 pontos de audiência.

O debate entre a honestidade e a falta dela foi feito por meio do conflito entre as personagens Raquel Accioli (Regina Duarte) e Maria de Fátima (Gloria Pires), que eram mãe e filha.

Trama principal e outros destaques

Maria de Fátima é uma jovem sem escrúpulos que tem horror à pobreza e quer se tornar modelo. Logo nos primeiros capítulos de Vale Tudo, ela vende a única propriedade da família, no Paraná, e foge com o dinheiro para o Rio de Janeiro. Raquel vai atrás da filha e, em terras cariocas, conhece o administrador de empresas Ivan Meirelles. Raquel e Ivan se apaixonam. Para sobreviver na nova cidade, Raquel passa a vender sanduiches na praia com a ajuda do amigo Audálio (Pedro Paulo Rangel), conhecido como Poliana.

Ambiciosa, Maria de Fátima faz uma aliança com César (Carlos Alberto Riccelli), que a estimula a seduzir o namorado da mulher que a acolheu no Rio de Janeiro, o milionário Afonso Roitman (Cássio Gabus Mendes). Afonso é filho da poderosa empresária Odete Roitman (Beatriz Segall) e irmão de Heleninha (Renata Sorrah). Odete é diretora da importante companhia aérea TCA e Heleninha é uma frágil e insegura artista plástica. A personagem de Renata Sorrah em Vale Tudo trouxe à tona o problema do alcoolismo.

Inovadora para a época em que foi produzida, a novela trazia em seu enredo um romance entre duas mulheres. As personagens Cecília (Lala Deheinzelin) e Laís (Cristina Prochaska) enfrentavam a oposição feroz de Marco Aurélio (Reginaldo Faria), que não aceitava o relacionamento das duas. Quando Cecília morre em um acidente de carro e deixa seus bens para Laís, Marco Aurélio faz o possível para impedir que a moça receba a herança. A relação entre Cecília e Laís também sofreu oposições na vida real. Vários diálogos precisaram ser reescritos depois que a cena em que as personagens falavam com Heleninha sobre seu relacionamento foi vetada pela censura.

Outro grande destaque que podemos atribuir a Vale Tudo é a trilha sonora.  O tema da abertura da novela, “Brasil”, acabou por se tornar uma espécie de hino do país. A música e, principalmente, os versos do refrão “Brasil, mostra tua cara…” são muito lembrados e utilizados em situações de protestos até os dias atuais. “Brasil” foi composta por Nilo Romero, George Israel e Cazuza. A canção ficou eternizada na voz de Gal Costa.

Quem matou Odete Roitman?

Odete Roitman (Beatriz Segal) é assassinada em Vale Tudo (Direitos de Imagem e CopyRight: TV Globo).

Odete Roitman, vilã que manipulava e vida dos filhos e maltratava os empregados, tornou-se muito popular em todo o Brasil e entrou para a galeria das grandes vilãs da nossa teledramaturgia.

A personagem de Beatriz Segall foi assassinada na reta final da trama, mas a identidade do assassino não foi revelada no momento em que a cena foi ao ar. Com isso, os autores deixaram ao público uma pergunta : Quem matou Odete Roitman?

Na época, apostas e até um concurso foram feitos para tentar responder a essa questão. Para manter o mistério até o fim, cinco versões com assassinos diferentes foram gravadas. A revelação de que foi Leila (Cássia Kis Magro ) quem matou Odete Roitman só foi feita no último capítulo. Com a revelação da identidade da assassina, os telespectadores descobrem também que Odete foi morta por engano. Na verdade, Leila queria matar Maria de Fátima, que havia se tornado amante de seu marido, Marco Aurélio (Reginaldo Faria).

Vale Tudo já foi reprisada duas vezes. A primeira foi em 1992, no Vale a Pena Ver De Novo, e a segunda em 2010, no Canal Viva. Rumores dão conta de que esta importante obra possa ser novamente veiculada no Vale a pena ver de Novo, como sucessora de O Rei do Gado.

 

Posição 7 – Fera Ferida

Uma grandiosa produção, marcada pelo realismo fantástico e inspirada em obras de Lima Barreto. Assim foi Fera Ferida, novela exibida no horário nobre da Rede Globo entre 15 de novembro de 1993 e 16 de julho de 1994. Escrita por Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares a trama teve média de 56 pontos de audiência.

Flamel (Edson Celulari) transforma Linda Inês (Giulia Gam) em estátua de ouro (Direitos de Imagem e CopyRight: TV Globo).

O enredo

A vingança e a ganância eram os temas principais da novela. A trama se passava na cidade fictícia de Tubiacanga e narrava a trajetória de Feliciano Júnior (Edson Celulari). Quinze anos após a morte dos pais, assassinados por causa da ambição de poderosos, o protagonista volta à cidade para se vingar. Feliciano Júnior passa, então, a usar a identidade falsa de Raimundo Flamel.

Flamel agora é um homem misterioso, que tornou-se alquimista. Focado no plano de vingança, ele aguça a ambição e a cobiça dos moradores da cidade ao se dizer capaz de transformar ossos humanos em ouro. O protagonista usa diversas estratégias para tentar acabar com os responsáveis pela tragédia de sua família. O que Flamel não esperava, no entanto, era que fosse se apaixonar por Linda Inês (Giulia Gam), sua namorada de infância e filha do prefeito Demóstenes, seu principal inimigo. O segundo alvo de Flamel é o Major Bentes, um homem ambicioso e prepotente, que teve um filho bastardo, Cassi Jones (Marcos Winter), com a perigosa Salustiana Maria Tibiriçá (Joanna Fomm). Os dois travam uma verdadeira disputa pelo poder, usando como pretexto o filho que Salustiana afirma ser dele. O filho legítimo de Major Bentes, Guilherme (Rúbens Caribé), é apaixonado por sua namorada Linda Inês, mas a moça não tem o mesmo sentimento por ele. O vereador Numa Pompílio de Castro e o Professor Praxedes de Menezes são os outros alvos da vingança de Flamel.

As tramas paralelas e o realismo fantástico

Além do plano de vingança e dos poderes de alquimista de Raimundo Flamel, outras tramas e situações chamaram a atenção em Fera Ferida. Um dos grandes destaques foi a cômica e sensível personagem Ilka Tibiriçá (Cassia Kis Magro). Ilka era uma solteirona cheia de manias, que vivia sendo humilhada por sua irmã, Salustiana. A sorte de Ilka começa a mudar quando ela conhece Ataliba Timbó (Paulo Gorgulho), um ex-jogador de futebol com quem ela acaba se casando e tendo filhos.

Traço característico das novelas de Aguinaldo Silva, o realismo fantástico estava bastante presente em Fera Ferida. Além das mágicas de Flamel, que tinham explosões, raios e fumaça, havia um personagem coveiro que falava com os mortos.  O coveiro era Orestes Fronteira, interpretado por Cláudio Marzo. Orestes é um personagem fundamental na história, pois através dele Flamel consegue se comunicar com seu pai. A personagem Camila (Claudia Ohana), sobrinha do professor Praxedes, completa a temática mística de Fera Ferida. Camila é um anjo que dorme durante meses e, de repente, acorda levitando, depois de sentir o cheiro de sua comida favorita: estrogonofe de bacalhau.

Camila (Cláudia Ohana) levita em Fera Ferida (Direitos de Imagem e CopyRight: TV Globo).

Reprise em 2015

Fera Ferida foi escolhida pelo canal a cabo Viva para substituir o Dono do Mundo a partir de junho deste ano, na faixa da meia-noite da emissora. A novela foi reexibida no Vale a Pena Ver De Novo entre 1997 e 1998. E aí, gostaram das novelas de hoje do nosso top 10? Amanhã tem mais, fiquem ligados!

Fonte: Memória Globo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Especiais

A importância dos bordões para as novelas

Oi, pessoal, tudo bem? Ontem chegou ao fim aqui no Território da Novela a série Top 10 de Audiência. Ao relembrar as novelas líderes no ibope, recordamos personagens que fizeram história na nossa televisão. A campeã do ranking foi Roque Santeiro. Nesta novela, o personagem Sinhozinho Malta, um dos maiores destaques, foi eternizado pelo bordão “Tô certo ou tô errado”. Outra das matérias da série falou sobre dona Armênia, de Rainha da Sucata, e seu inesquecível “ na chon”.

 

Dona Armênia (Aracy Balabanian) em Rainha da Sucata (Direitos de Imagem e CopyRight: TV Globo).

Podemos afirmar sem medo, então, que os bordões costumam ajudar muito a deixar um personagem de novela para sempre na memória das pessoas. Eu mesma preciso dizer que sou bastante influenciada por essas expressões. Até hoje, quando quero dizer que alguma coisa não é boa ou não está acontecendo como eu gostaria, uso “É a treva”. Este era o bordão da personagem Bianca (Isabelle Drummond) em Caras e Bocas.

Pensando em tudo isso, fiz uma pequena lista de bordões que fizeram sucesso em tramas mais recentes. Quer relembrar? Então olha só!

Especiais

Estrela de A Usurpadora estará no Brasil dia 16. Relembre a novela

A atriz venezuelana Gabriela Spanic, mundialmente conhecida por interpretar as gêmeas Paola e Paulina na novela mexicana A Usurpadora, vai estar no Brasil entre os dias 16 e 17 deste mês. O motivo da visita é a realização de encontros com fãs. Os eventos, chamados de convivências, vão acontecer no Rio de Janeiro e em São Paulo. Para participar, é preciso ter ingresso.

 

Paulina Martins e Paola Bracho (Gabriela Spanic) em A Usurpadora. (Foto: Blasting News).
Especiais

O autor Walcyr Carrasco, suas obras e a interação com o público

Oi, pessoal, tudo bem? Peço licença para compartilhar uma experiência pessoal pela qual passei e aproveitar para falar um pouco sobre um dos mais renomados novelistas brasileiros.

Na última quinta-feira, dia 23, foi comemorado o Dia Mundial do Livro. E eu, além adorar ver novelas e falar/escrever sobre elas, também gosto muito de ler bons livros. Ah, e foi o gosto pelas novelas que me levou a querer ser roteirista e a começar a me aventurar por esse caminho. Mas esse é outro assunto.

Retomando:  Então, na quinta, postei no meu Instagram uma foto do livro “Estrelas Tortas”, escrito por Walcyr Carrasco. Escolhi este livro porque a história é linda e porque foi através dele que comecei a conhecer e a acompanhar as obras desse grande autor, que é hoje um dos grandes nomes da teledramaturgia brasileira.

 

Estrelas Tortas, livro de Walcyr Carrasco (Foto: walcyrcarrasco.com.br)